Perseguição aos cristãos | Site Católico

Protesto contra o massacre de cristãos, no Egito (fonte: Portal Terra/Istoé Mundo)

Neste exato momento, mais de 200 milhões de cristãos sofrem intensa perseguição em todo o mundo[1]. Outros 250 milhões enfrentam declarada discriminação, sobretudo em países socialistas/comunistas ou governados por regimes islâmicos1. Cristãos estão sendo perseguidos e massacrados, torturados e mortos em países como Nigéria, Indonésia, Iraque, Sudão e outros. Para não abandonar a fé, veem-se obrigados a fugir da China, Egito, Índia, Afeganistão, Coreia do Norte, Etiópia, Uganda e pelo menos outros 50 países[1].

Em diversos pronunciamentos públicos, o Papa lamentou os episódios de violência e ações terroristas contra os cristãos, da parte de regimes que tentam impor uma religião majoritária ou que simplesmente rejeitam o cristianismo. Em alguns Estados da Índia, por exemplo, onde os cristãos são minoria, a Igreja dispõe de vocações sacerdotais; religiosos e religiosas empenham-se, trabalhando arduamente em obras educativas e assistenciais em favor dos mais pobres. Esse trabalho, porém, encontra a resistência e até a perseguição de certos grupos hinduístas radicais!

Outra forma de perseguição, mais sutil, acontece nos países mais desenvolvidos. Não se trata de perseguição violenta, mas, como disse o Papa, de um “escárnio cultural sistemático”, que ridiculariza as crenças religiosas cristãs e católicas. Uma freira que trabalha no Movimento Eucarístico Juvenil, no Canadá, testemunha que, em determinados ambientes, os jovens católicos são criticados e alvos da zombaria dos colegas. Na escola e na universidade, até mesmo professores ridicularizam a religião[2]. Nesse contexto, o jovem cristão é excluído, afrontado, desrespeitado.

Na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) do ano passado, na Espanha, os jovens peregrinos católicos foram afrontados por movimentos de ateus ativistas. Houve tumulto e agressões da parte de manifestantes favoráveis ao Estado laico e contra a visita do Papa e a JMJ. Com o protesto, que contou com a presença de milhares de pessoas, a polícia precisou desalojar parte do centro da cidade. Voz da Igreja publicou artigo sobre o assunto, que pode ser lido aqui.

Em diversos países da Europa, como Itália e Espanha, movimentos ateístas radicais organizam-se contra a religião, especialmente contra a Igreja, com manifestações como a ocorrida na “Marcha dos Indignados” de 2011, quando igrejas foram invadidas e depredadas, e imagens cristãs foram estraçalhadas e pisoteadas em praça pública[2]. O crucifixo também é alvo desses grupos, que o entendem como “ofensivo” ao sentimento dos não cristãos e dos que não têm religião. Segundo estes, o Estado, por ser laico, deveria proibir toda manifestação religiosa externa ou pública. Confundem “laico” com “ateu”… Veja mais a respeito aqui.

(Fonte: Portal Terra/Istoé Mundo)A perseguição contra os cristãos ocorre, principalmente, por dois motivos:

# Ideológico: é ocaso de países com governos socialistas/comunistas (como a China continental e o Vietnã);

# Religioso: nos países que professam uma religião oficial e temem que os cristãos queiram converter os cidadãos. É o caso dos governos islâmicos e de alguns Estados da Índia, dominados por hinduístas fundamentalistas.

O Secretário-geral do Apostolado da Oração na Indonésia nos conta que, naquele país, um cristão não pode ser funcionário público nem lecionar em uma universidade do Estado. Na Malásia, o governo chegou a proibir que “o Deus dos cristãos” fosse chamado de “Alá”, que significa Deus na língua árabe. Essas discriminações tornam terrível a vida dos cristãos nesses países. Na Indonésia, de 2004 a 2010, foram fechadas ou destruídas 2.442 Igrejas!

Há um ano, houve um ataque massivo contra igrejas em Temanggung (Java central). Em Bagdá, capital do Iraque, a catedral sírio-católica de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi atacada durante a celebração da Missa, causando a morte de dois sacerdotes e de mais de 50 fiéis. Os cristãos, nesses países, vivem amedrontados. Naquele país, cristãos são regularmente assassinados e sequestrados; igrejas são destruídas e centenas de milhares de cristãos são obrigados a fugir.

Cristãos estão sendo martirizados no mundo, mas poucos cidadãos das nações livres sabem disso. Mídia e governos poderiam falar mais sobre o assunto e atuar contra estes abusos, mas geralmente se recusam, por motivos políticos.

http://vozdaigreja.blogspot.com.br/2002/07/perseguicao-aos-cristaos.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *