Escravos da pornografia

escravosdapornografia

Entenda os mecanismos viciantes da pornografia, ‘ladrão’ que rouba a “essência transcendente do ser humano”.

Postado em 16 de Outubro de 2013 por Carmadélio

Dezenas de estudos de cientistas sociais mostram como o mapa mundial da pornografia – sua produção e consumo – cresceu desde a criação da internet. Suas causas, lucros bilionários e consequências sobre a vida das pessoas e sociedades mostram a urgência de abordar esta realidade de forma multi-setorial.
Esta é a conclusão do mais recente estudo sobre o tema (“Os adolescentes e jovens que consomem pornografia são mais propensos a cometer violência sexual”), publicado em 7 de outubro pela revista Jama Pediatrics.
Cerca de 10% dos jovens menores de 21 anos entrevistados reconheceram ter abusado sexualmente de outras pessoas pelo menos uma vez na vida. Tal conduta está diretamente relacionada ao consumo habitual de pornografia.
“A violência sexual potencializada pela pornografia e seu consumo causa mais de um milhão de vítimas por ano, com um custo total de 127 milhões de dólares. Por isso, é urgente controlar o consumo de pornografia mediante políticas públicas e programas educativos de prevenção”, afirmam os pesquisadores.
O Departamento de Psiquiatria da Pontifícia Universidade Católica do Chile identifica o consumo de pornografia como um comportamento em direta relação com o vício ao sexo. “As pessoas com este transtorno – afirmam os especialistas – têm problemas laborais, familiares, econômicos e sociais devido à sua adição, já que seu comportamento sexual os obriga a frequentar prostíbulos, comprar artigos pornográficos, manter relações sexuais com desconhecidos, inclusive sem proteção, fazendo que sua vida gire ao redor do sexo, sem sentir, na maioria das vezes, nenhum tipo de prazer, mas sentimentos de culpa e sofrimento.”
Da mesma forma, o psiquiatra Enrique Rojas denuncia, na revista Humanitas (n. 10), que as estatísticas mostram que hoje existe “uma verdadeira idolatria ao sexo. Já se instalou no coração da nossa sociedade o sexo a todo momento, impulsionado pela pornografia e seus derivados. Estatização degradante do sexo. Com uma nota sui generis: banalizam o sexo e ao mesmo tempo o convertem em religião”.
Para o pesquisador William M. Struthers, especialista em neurologia e bio-psicologia pela Universidade de Illinois, conhecer como opera a rede de conexões e reações a estímulos do cérebro permite entender por que a exposição à pornografia gera adição e permanência no tempo, com um dano não apenas sociológico e psicológico, mas também espiritual.
Em seu livro “Wired for Intimacy: How Pornography Hijacks the Male Brain“, o profissional identifica alguns aspectos, para mostrar o que ocorre no cérebro de quem consome pornografia.
O material sexualmente explícito desencadeia a ativação de um efeito espelho em alguns neurónios do cérebro. Tais neurónios – que participam do processo de imitação de um comportamento – possuem também a capacidade de orientar o comportamento.
No caso da pornografia, este sistema de “neurónios espelho” desencadeia a excitação, o que conduz à tensão sexual e à necessidade de satisfazê-la. “A triste realidade é que, quando o expectador de pornografia age (em geral, masturbando-se), isso geral um condicionamento hormonal e neurológico que acaba atando a pessoa ao objeto no qual se centra”, afirma Struthers.
A hiper-estimulação no cérebro dos circuitos neuronais de recompensa, como ocorre com o aumento induzido de dopamina provocado pela visualização de pornografia, cria dessensibilização.
Gary Wilson explica: “Quando os receptores de dopamina caem, por excesso de estimulação, o cérebro não responde tanto, e nos sentimos menos recompensados com o prazer. Isso nos impulsiona a buscar, inclusive sem medir consequências, essa sensação de satisfação – por exemplo, recorrendo a estímulos sexuais mais extremos, aumentando a duração ou quantidade de sessões de pornografia que vejo, até adormecer o cérebro”.
O perfil psicológico da nossa conduta e dos hábitos emocionais que consolidam nosso caráter sexual é construído com base nas decisões que tomamos, segundo Struthers. “Cada vez que a sequência de excitação e resposta é ativada, forma-se uma memória neurológica que influenciará nosso processamento e resposta futuros aos sinais sexuais. A forma como esta via é ativada e percorrida constituirá o caminho (mental) preferido a ser seguido regularmente. As consequências disso são de longo alcance”.
O que faz que a pornografia pela internet seja única?, pergunta-se Wilson, e identifica inúmeras razões, que incluem:
– A pornografia pela internet oferece novidade extrema;
– Ao contrário do que ocorre com a comida e as drogas, quase não há limites físicos para o consumo de pornografia pela internet;
– A pornografia pela internet permite manter em alta o estímulo, em dois sentidos: ter novos “companheiros” (atrizes/atores porno), e ver géneros novos e inusitados desta atividade;
– O impacto sobre o usuário – lembrando que o cérebro de um adolescente está no auge das suas possibilidades de produção de dopamina e neuroplasticidade, tornando-se altamente vulnerável à adição e ao condicionamento.
Nos homens que se expõem a material sexualmente explícito, existe uma correlação com a ansiedade social, depressão, baixa motivação, disfunção erétil, problemas de concentração e autopercepção negativa quanto à aparência e ao funcionamento sexual.
Struthers conclui que a pornografia altera a essência transcendente do ser humano. “Leva a sexualidade humana do seu pretendido propósito de participar na criação, aprofundando na intimidade saudável entre dois seres humanos, à sua degradação, como se fosse um produto a ser consumido.”
“Os seres humanos se tornam objetos de consumo, ao invés de indivíduos com dignidade; e, neste processo, as pessoas envolvidas em sua produção e consumo são prejudicadas. Este é um dano não só sociológico e psicológico, mas também espiritual”, completa.

Fonte:Aleteia

COMENTÁRIO ARNALDO HAAS – www.recadosaarao.com.br

Naturalmente que não tenho dados de pesquisas pessoais à respeito da sexualidade humana, apenas neste trabalho, em contato com milhares de pessoas, certamente já pude formar muitas opiniões à respeito deste tema. De fato, a sexualidade é um campo onde se pode dizer que cada pessoa é um caso, ela é tão diferente entre as pessoas, como existem pessoas diferentes. E no caso acima citado da pornografia, óbvio que se trata de um problema sério de disfunção sexual, de tara ou desequilíbrio psíquico, que sempre trás sérios prejuízos para a pessoa.
Se pode dizer que a sexualidade humana é cheia de mitos, e de lendas. Mito de que o casal tem que manter relações sexuais todos os dias e mito de que se um homem ou uma mulher não têm multiplos orgasmos em cada relação isso é porque são fora de padrão, fora do normal e por isso acabam por buscar subterfúgios onde equilibrar aquilo que de fato é mentira e uma distorsão. Óbvio, que não vou tratar aqui de todos os casos, porque nem uma enciclopédia poderia descrever tudo o que acontece, com cada um em com todos os homens e mulheres, criados tão perfeitos diante de Deus.
Os mitos, de fato, são inventados pelo diabo, todos eles. Além daquele que citei, por exemplo, temos o mito do tamanho do órgão sexual masculino, o mito da forma exterior do órgão sexual feminino, que tem levado hoje milhares de mulheres a recorrerem a cirrurgias de correção, porque imaginam que seu corpo é imperfeito. Têm vergonha de si mesmas, tal como dos seios, das nádegas, dos narizes, tudo em demonstrações de insatisfação quanto a aquilo que Deus fez perfeito, e como gosta de nos ver. Digo isso, para indicar que todas estas preocupações exageradas acabam por levar as pessoas a recorrerem a efeitos exteriores para se realizarem sexualmente. No que acabam caindo moralmente, mais e mais. Mas vejam…
Penso que, nenhuma pessoa, por equilibada que seja, por religiosa que seja, jamais deixou de ser tentada, ou de ser levada a meditar pelo menos em algum destes mitos, preocupado com algo que não ia bem em sua sexualidade. Quem diz que nunca foi tentado mente, porque o nosso corpo, entre todas as perfeições nele postas pelo extraordinário Criador, comporta também a sexualidade que leva à geração da vida. E quem não liga absolutamente para este lado humano, necessário e mesmo imprescindível, na realidade não está bem. Sim, tal pessoa pode efetivamente exercer domínio sobre si mesmo e sobre as tentações da carne, mas jamais deixará de ser tentado. De ser confrontado com estes mitos!
O que se verifica hoje é uma exacerbação da sexualidade humana, especialmente com a exposição ostensiva do corpo feminino. Penso que esta é a causa número um do verdadeiro dilúvio de desvios que acontecem nesta área. A ruína do mundo, sem dúvida, vem da ruína da mulher, obviamente não de todas. Duvido que alguém transite hoje por uma rodovia da Santa Catarina, especialmente na nossa região que é ligada na área das confecções e moda de praia, sem deixar de observar os outdors com fotos de mulheres em moda íntima, deitadas e de perna aberta. Até para vender um pacote de macarrão hoje se faz uso de uma mulher seminua. Acaso, em casa, cozinham trajadas assim?
Naturalmente então que a internet, no escondido dos quartos, nas trevas da noite, longe dos olhos dos pais – isso quando os pais também fazem uso dos mesmos subterfúgios – nas longas madrugadas, acontece este voierismo pecaminoso, que tem levado tantas pessoas a um estado perigoso de morte espiritual. E o diabo se encarrega de colocar a pornografia ao acesso de todos, em todos os lugares e de todas as formas. Hoje é tal que, se você não se mantiver atento, basta entrar no youtube para procurar uma coisa digna e boa, e poderá topar com a oferta de alguma coisa maligna, seja pornografia escancarada, seja sutil e também pecaminosa. Ninguém estará livre de cair!
Em síntese se pode dizer que as pessoas se desequilibram nesta área, exatamente porque, sendo diferentes uns dos outros, acabam dando ouvidos a mitos e lendas. Uma ainda eu gostaria de lembrar, aquela que corre entre os adolecentes, de que se não “pegar” muitas meninas é porque não é sufcientemente homem, e a das meninas que se ainda forem virgens sentem vergonha de si mesmas e acabam se entregando para qualquer um, quando destroem aquilo que de fisicamente elas têm de mais íntimo e precioso que é o recato feminino. Depois deste desastre, entre meninos e meninas, tudo o que vem mais é só para destruí-los. Moral e fisicamente!
Mitos, lendas, tabús, tudo isso acaba por construir um quadro de degeneração atual da raça humana, algo jamais visto desde que na terra existem seres humanos. A sexualidade exacerbada acaba também contribuindo para o homossexualismo, especialmente entre os adultos, quando já explodiram-se com mil desvarios e já nem os viagras resolvem, e acabam nas relações contra a natureza, transformando este mundo num abismo de podridão, pela degeneração da própria raça humana. Tal é que, disse recentemente, mais ou menos assim, um pregador americano, “se Deus não agir contra os que hoje promovem esta destruição, terá que pedir desculpas aos habitantes de Sodoma e Gomorra”. Sim, por tê-los exterminado!
Deus nos fez a todos perfeitos assim como Ele quer. Por experiência posso dizer a melhor forma de encarar a nossa sexualidade é combater o mal pela raiz. É combater a tentação no nascedouro, se possível até antes que ela se estabeleça em nossa mente. Este combate é as vezes cruel e terrível, porque a carne é muito fraca. No homem, especialmente, a produção pelas glândulas de todos os fluídos destinados a esta área é contínua, e a retenção deles no corpo é às vezes dolorosa, e para muitos insuportável. Vencer a tentação, que vem aliada até com a dor, pode ser uma verdadeira cruz para aqueles que se querem manter castos, especialmente quando as tentações surgem de todos os lados, tanto pela pressão do inimigo, quanto pela exposição ostensiva do corpo feminino. Ou masculino!
E quanto às mulheres, o que acontece? Naturalmente que só uma pessoa que sente a realidade na carne pode explicar em pormenores o que lhe acontece, entretanto tudo o que posso dizer é que hoje existem muito mais mulheres com sexualidade entre sofrível e nula, do que as que se sentem plenamente realizadas. Como elas são a parte mais importante no relacionamento do casal, pode se afirmar também que o relacionamento sexual entre os casais, circula mais igualmente entre o sofrível e o nulo, do que no perfeitamente equilibrado, falo ao longo de toda uma vida. As novelas, ó como as mulheres aprendem mitos e lendas ali!
Nestes casos, se não houver a renúncia, pelo menos de uma das partes, invariavelmente chegaremos a um desmantelamento da vida íntima do casal. Mas esta renúncia pode significar também o esmagamento de uma das partes, que pode ser causa inclusive de quebra do vínculo matrimonial, também no religioso. Isso somente não acontece em milhares de casos, porque amor em uma certa parcela menor, e a dificuldade oriunda da separação – filhos e bens comuns – simplesmente assustam os casais, que preferem a manutenção da aparência, a manutenção do status social e uma união apenas conveniente. Ai, e quantos adultérios a partir disso!
Sim, adultérios físicos, e adultérios secretos através da pornografia, onde principalmente os homens buscam safisfação no voierismo, esta masturbação mental, que vai aos poucos destruindo-lhes o corpo, e corrompendo a alma. Quantos desequilíbrios psicológicos isso causa! Quantos problemas de brutalidade sexual depois, praticados especialmente por jovens que assistem a torpeza do sexo animalesco da pornografia, onde os casais se permitem todo tipo de taras, poses e violação, todo tipo de desvario, tudo para destruir vidas e matar almas. Quantos acham que assim é o normal, e depois no casamento, fazem tudo mecânico e sem amor, sem carinho, sem respeito. Como podem durar casamentos assim?
Que resta então? Maridos afundados em pornografia! Mulheres em cada vez maior número traindo seus maridos! Estes idem, traindo suas esposas! Quando no fundo tudo é simples: JAMAIS afrontar a própria natureza! Isso significa não dar ouvidos aos mitos, lendas e tabús sobre a sexualidade, deixando a vida natural correr livre e solta. E entre os casais legalmente unidos por Deus, levar uma vida sexual não obsessiva, não colocar no sexo o ápice de sua vida conjugal, exatamente como Deus constituiu a cada um, respeitando-se mutuamente e vivendo um amor de entrega tal, que sejam capazes de somente se sentirem feliz, se o outro estiver feliz. Isso chama-se verdadeiro amor! Isso geraria santos, que jamais sofreriam estes distúrbios, em especial se, sempre, os esposos se relacionassem em estado de graça.
Num caso assim, mesmo que a esposa, especialmente após os filhos sinta menos desejo e atração sexual pelo esposo, ela por amor pode cumprir sim a sua parte, sem que isso se torne um peso insuportável. Da mesma forma o marido, dentro dos limites que a moral divina nos impõe, e da normalidade que o físico exige, poderá aceitar também os momentos de menor disposição da esposa, através de um diálogo amoroso que leva ao equilíbrio capaz de sustentar santamente sua união. Afinal Deus os fez um só, então como poderá um estar feliz se o outro sofre? Neste caso, a esposa tem direito definitivo sobre o corpo de seu esposo, e ele sobre o dela. Cada um pertence ao outro, e peca quem se nega, desde que um ato normal e santo.
Quando, porém, entram no casal os mitos, as lendas e os tabús, com absoluta certeza entram também os desvarios, as loucuras, os desequilíbrios, que acabam por dilacerar o casamento e acabar com a união. Infelizmente, por tudo o que pude aprender nestas longos anos de contato com milhares de pessoas é que o sexo foi o chamariz que os levou a se unirem, não o amor renúncia. E este é simplesmente o motivo maior das separações dos casais, juntamente com a incompatibilidade de gênios. Sim, porque no namoro, ao invés de se ligarem também pelo espírito, uniram-se apenas nos corpos. E o sexo, apesar de um poderoso atrativo, tem um vínculo muito frágil: pode romper-se exatamente no momento em que terminar o efeito do orgasmo!
Que os pais vigiem seus filhos, se quiserem que as gerações futuras não acabem por tornar o mundo num antro de demônios. Em vista disso, não poderia deixar de mencionar os pecados, os dilúvios, as avalanches, os aluviões deles, que hoje fazem submergir o mundo numa profusão de horrores. E certamente os pecados contra o sexto e o nono mandamentos contribuem com grande parte disso tudo. Até porque a humanidade perdeu a noção de pecado, tem dado um grito de liberdade em relação às Leis de Deus, e não liga mais para a moral. O que vale hoje para muitos, é explodir sexualmente se possível for, e fazer explodir até a infância.
Falando nisso, termino comentando sobre a foto de uma menina posta no portal terra, de não mais que uns quatro aninhos, pintada de batom e fotografada em pose sensual. Eu só posso dizer uma coisa sobre isso: continuem corrompendo sexualmente também as crianças inocentes, e verão o fogo descer dos céus para consumir os que a isso se dedicam! Eles não perdem por esperar! Dizem que tal foto provocou revolta e discussão. Ora, ontem também o jeans colante na mulher e a mini saia provocaram a mesma coisa! Entenderam? Se Deus permitir, o homem chegará a este ponto, até porque a aprovação da pedofilia é próximo alvo dos demônios.
Um recadinho: o pai e a mãe que permtiriam aquela foto, deveriam hoje estar na cadeia, por corrupção de menores! Que se convertam e se arrependam antes de chegar diante do Juíz, porque então poderá o lago de fogo ser seu destino eterno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *