Enquanto dioceses fecham ou fundem paróquias, há uma que cresce e floresce!

Diocese de Lincoln

Então, muitas vezes atualmente nós lemos sobre o colapso em curso do catolicismo no oeste. Em diocese após diocese nós vemos paróquias e escolas de fecharem ou se consolidarem, o declínio nos sacerdotes bem como clérigos mais velhos, passarão a taxas superiores às novas ordenações, e uma perda generalizada da próxima geração de fieis, quer para a esquerda secular ou para a direita evangélica.

Lemos também sobre vários planos para combater estas tendências. Todo mundo parece ter um programa para promover, uma nova estratégia para aumentar as vocações, para aumentar a participação na Missa semanalmente, para manter os adolescentes na Igreja sem largarem a fé…

No entanto, o que não é tão conhecido é que nós já temos um plano para o sucesso: a Diocese de Lincoln, Nebraska. O problema é que poucos estão falando sobre isso. Então vamos corrigir as coisas. Primeiro, com alguns fatos que você não sabe sobre a Diocese de Lincoln:

De acordo com o Diretório Católico Oficial e do Centro de Pesquisa Aplicada no Apostolado (CARA), Lincoln, Nebraska é a única diocese nos Estados Unidos colocada no Top 20 na relação entre os ordenados e população em todas as pesquisas realizadas a partir de 1993 até 2012.

Apesar de ter uma população católica de apenas 97.000, a diocese Lincoln ordenou 22 homens entre 2010-2012. Apenas sete dioceses em todo o país ordenaram mais. Uma delas, a Arquidiocese de Los Angeles (com uma população católica mais de 4,2 milhões) ordenou 34 homens durante esses mesmos três anos. Em outras palavras, Los Angeles ordenou apenas quatro homens por ano, em média, apesar de ter uma população 44X maior que Lincoln.

O Bispo James Conley observou recentemente que, neste ano, a diocese terá ordenado 17 homens para o sacerdócio em um período de 24 meses, algo inédito nestes tempos. A partir de 2012 a diocese teve um total de 150 padres que servem 134 paróquias. Não há nenhum programa de diaconato permanente em Lincoln. Há, no entanto, acólitos e leitores agindo, constituídos apenas de homens leigos.

Há também 33 escolas católicas, incluindo 6 escolas secundárias. Uma dessas escolas secundárias, São Pio X, produziu 18 dos 48 homens inscritos em São Gregório, o Grande Seminário, em 2014. É também interessante notar que 96 por cento dos alunos que frequentam as escolas diocesanas são católicos. Muitas das escolas são formadas por religiosas, e a Diocese de Lincoln possui 141 irmãs de 14 ordens diferentes. Muitos têm padres que ensinam a teologia do ensino médio e, muitas vezes servindo como diretores também.

Tendo estabelecido que Lincoln é uma comunidade próspera do catolicismo, aparentemente imune a muitos dos desafios encontrados em outros lugares, precisamos agora de olhar para o segredo de seu sucesso. O modelo Lincoln pode ser reduzido a alguns elementos fundamentais:

Bispos ortodoxos

Contra todas as probabilidades e os ventos predominantes da Igreja pós-conciliar, Lincoln tem evitado a loucura e a irreverência que têm afligido tantas outras dioceses. Isto foi alcançado em grande parte através da estabilidade e da ortodoxia prestada ao longo dos últimos cinquenta anos por três homens: Bispo Glennon Flavin (1967-1992), bispo Fabian Bruskewitz (1992-2012), e Bispo James Conley (2012-o atual). Eles conseguiram isso, apesar do escárnio ocasional de seus irmãos bispos e fazendo prioridades perenes da Igreja a sua própria.

O National Catholic Reporter (…) uma vez lamentou que era como se as “reformas” tão prevalentes no rescaldo do Concílio Vaticano II tinha perdido Lincoln completamente. Exatamente.

O único Santuário masculino.

Várias coisas diferenciam imediatamente Lincoln a partir de quase todas as outras dioceses do país, quando se trata da sagrada liturgia. Em grande medida, Lincoln tem preservado um único santuário do sexo masculino. Nesta área, a diocese tem simplesmente dado mais peso à Tradição e ao bom senso em vez das “sensibilidades modernas”, que são mais secularmente adotadas. A diocese continua a ser a única no país a manter uma política de altar servida apenas por meninos.

Como tenho escrito antes, este é um reconhecimento direto do que a própria Roma estabeleceu em 1994: A Santa Sé deseja recordar que sempre será muito conveniente seguir a nobre tradição de ter meninos no serviço do altar. Como é bem sabido, isso levou a um desenvolvimento reconfortante das vocações sacerdotais. Assim, a obrigação de apoiar esses grupos de coroinhas sempre continuará ali.

Lincoln também utiliza apenas acólitos instalados e leitores para a Santa Missa. Uma vez que é um ministério instituído, o papel de um acólito está aberto apenas para os homens. Ambos os ministérios instituídos começaram durante o tempo de Bishop Flavin, durante a década de 1970.

Como exemplo, uma paróquia com 1.200 ou mais famílias pode ter até 30 a 40 acólitos. Eles se formam principalmente para terem capacidade de servir durante a Missa, muitas vezes, bem como coroinha ou diáconos: eles viram as páginas Missal para o sacerdote, carregam a cruz processional, distribuem a comunhão, lidam com o turíbulo para incensar, e assim por diante.

Estes acólitos são utilizados em uma base na medida do necessário e não são vistos como apenas outra forma de aumentar a participação dos leigos. Numa Missa de Domingo, em média com 800 pessoas normalmente têm apenas 2 acólitos principais e mais 3 extra ajudando o sacerdote, para distribuir a Sagrada Comunhão. Também é interessante notar que os fiéis recebem apenas sob uma espécie em Lincoln, o que tornaria necessário dobrar o número de acólitos. Este é, naturalmente, em contraste com a maioria das dioceses que fazem uso ordinário de ministros extraordinários da Sagrada Comunhão, ao ponto de abusarem da intenção estabelecida por Roma.

Como foi referido anteriormente, Lincoln também utiliza leitores instalados para a maioria das Missas dominicais. Voltando ao início de 1980, foi quando o bispo Rembert Weakland (o prelado homossexual progressista de Milwaukee na época) censurou publicamente o bispo Flavin de Lincoln para não abraçar a inovação de leitores do sexo feminino para Missa. Enquanto o sucessor de Flavin, o Bispo Bruskewitz acabaria por concordar e permitir a sua utilização de leitores do sexo feminino, ainda são mais comumente utilizado para missas diárias e as massas da escola, com leitores mais prevalentes para Domingo e dias santos de preceito.

Tradição amigável

Aqueles em Lincoln que falam da falta de tribalismo Católico notam a ausência de guerras litúrgicas tão prevalentes em outras dioceses. Em grande parte, isso é devido ao ambiente criado pelos bispos de Lincoln. São reverentes as liturgias no Novus Ordo que têm servido bem os fiéis, evitando a frustração que muitos encontram em outras dioceses.

No entanto, Lincoln também evitou a hostilidade em relação à Tradição que muitas vezes define o que os tradicionalistas experimentam em outros lugares. Voltando na década de 1990, em seguida, Bishop Bruskewitz convidou a recém-criada Fraternidade Sacerdotal São Pedro (FSSP) para estabelecer na diocese um seminário, Nossa Senhora norte-americana de Guadalupe, em Denton, Nebrasca. A Fraternidade celebra exclusivamente Missa na forma extraordinária e adere aos livros litúrgicos em uso em 1962.

Atualmente, existem cerca de 7 ou mais sacerdotes diocesanos que oferecem a missa em latim tradicional; no entanto, outros mais estão aprendendo. O reitor do seminário diocesano (São Gregório Magno) oferece-a aos seminaristas uma vez por mês.

Este é provavelmente um dos lados mais interessantes de Lincoln. A comunidade latina na Missa não é muito grande em Lincoln. Porque a diocese tem sido historicamente tão conservadora que nunca houve um grande grito de batalha dos tradicionalistas para o retorno exclusivo da Missa em latim. Muitos na comunidade ainda podem ser vistos em várias paróquias da Novus Ordo onde participam plenamente na liturgia.

O número de sacerdotes que aprendem a antiga Missa está em ascensão, mas principalmente entre os padres mais jovens (dos quais existem muitos). A maioria dos sacerdotes mais velhos delega esta missão aos sacerdotes do FSSP na diocese no seminário ou a paróquia de São Francisco. Os Bispos Bruskewitz, Conley e Robert Finn (anteriormente da diocese de Kansas City-St. Joseph) todos oferecem-na regularmente na Diocese.

Os sacerdotes diocesanos de Lincoln e os sacerdotes do FSSP ter um excelente relacionamento, e ele só está ficando melhor. São Gregório Magno que forma seminaristas diocesanos tem ido a Nossa Senhora de Guadalupe, e vice-versa, para as noites de oração e de fraternidade e das Vésperas em ambos os antigos e novos ritos.

Continuidade litúrgica

Como foi referido anteriormente, a Diocese Lincoln evitou intencionalmente a tendência moderna de clericalizar os leigos por delegação de funções litúrgicas aos fiéis. Graças ao seu uso de acólitos e leitores, em vez do uso excessivo mais comum de leitores e EMHC de, a diocese não turva as linhas entre ministros e leigos, ou entre santuário e nave. É óbvio para ver como isso reforçaria o sacerdócio ministerial em Lincoln, bem como a continuidade entre as duas formas do rito romano. A orientação litúrgica adequada foi ainda reforçada através da maneira pela qual muitas Missas são oferecidos em Lincoln: com o padre de frente para o oriente litúrgico, ou ad orientem.

Como tenho escrito antes, nos últimos dois anos o Bispo Conley tem oferecido todas as Missas dominicais ad orientem durante o Advento. Além disso, ele tem incentivado publicamente os sacerdotes de sua diocese a fazer o mesmo. Pelo que me foi dito, cerca de 40% das Freguesias escolheram seguir o seu exemplo. Para muitos, no entanto isso não foi nada de novo, porque a maioria das Missas diocesanos já estão sendo oferecidos ad orientem.

A Educação Católica

Entrementes guardei este assunto para o último: em muitos aspectos, a educação é o principal ingrediente da receita de Lincoln para o sucesso. A visão do Bispo Glennon Flavin, para uma diocese, que permitiu que seus filhos vão para a escola católica a um custo acessível, onde é ensinado o Catolicismo autêntico pelas irmãs religiosas e padres como parte integrante da missão diocesana.

Enquanto a população católica de Lincoln é inferior a 100.000, eles servem aos fiéis com 27 escolas de ensino fundamental e 6 escolas para educar a próxima geração. Mais importante, a maioria das escolas diocesanas têm pelo menos 1 a 2 irmãs habitando ali e todas as escolas católicas são formadas por pelo menos um padre.

Como observei anteriormente, as aulas de teologia do ensino médio só são ensinadas apenas por padres e irmãs religiosas. Por exemplo: a escola católica em Lincoln, a Pio X, tem mais de 1200 alunos e é composta por 4 irmãs religiosas (todas usando hábitos religiosos tradicionais) e 15 padres que sempre usam seus hábitos. Cada sacerdote recém-ordenado é levado para ensinar na escola por pelo menos 5 anos. Padres que são atribuídos a paróquias em pequenas cidades com um colégio católico ainda são esperados para melhorar o ensino.

Ao contrário de outras dioceses que exigem Missas escolares apenas uma vez por semana, ou em alguns casos, uma vez por mês, cada escola primária na Diocese de Lincoln é obrigada a oferecer Missa diária para toda a escola todos os dias.

Assim, não pode haver melhor exemplo do compromisso da Diocese de Lincoln para o futuro do que o fato de que as escolas diocesanas têm alguns dos mais baixos custos de ensino em todo o país. Como exemplo, Escola Católica de Santa Teresa, na cidade tem um custo anual de apenas US$ 100 (cem dólares) por aluno, e ainda é uma escola próspera, com uma irmã habitando ali como diretora.

Como me explicou um local, “Estas boas, e sólidas, escolas católicas são as raízes da diocese que continuam a bombear para a Igreja vocações religiosas e fieis bons católicos, graças ao trabalho do nosso clero, do pessoal diocesano, e dos leigos.”

Por que não há outras Dioceses Olhando para Lincoln?

Por que mais dioceses não estão olhando para incorporar o modelo de Lincoln é um mistério. É fácil ver como alguns podem rejeitá-la, no entanto Lincoln é uma diocese rural. É excepcionalmente elevado o número de religiosas a ajudarem a reduzir os custos de matrícula para as escolas. O tamanho relativamente pequeno da população católica cria um ambiente isolado diferente daquele encontrado em áreas tão diversas e populosas como Los Angeles, Chicago ou Nova York.

Claro que pode haver outras razões pelas quais o projeto Lincoln está aparentemente sendo ignorado. Sem dúvida, muitos bispos, sacerdotes e fiéis leigos preferem renunciar a um boom de vocações, mesmo que isso signifique ter de restabelecer divisões claras entre a nave e o santuário, ou impondo tais inovações pós-conciliares como meninas altar ou ministros extraordinários.

O impulso secular para igualitarismo tem sido entusiasticamente abraçado pela maioria dos bispos destas últimas décadas. Parece haver um tanto de orgulho, ou medo, ou uma agenda que não é focada exclusivamente em salvar almas, o que está retendo muitos de inverterem o curso. Ou talvez algumas dioceses simplesmente não queiram o catolicismo ortodoxo.

Podemos apenas esperar e rezar para que mais pessoas dentro da hierarquia da Igreja humilde e atentamente olhem para Lincoln e terão ali algumas respostas. Existe ali um projeto para a reconstrução de uma Igreja vibrante, de um Catolicismo autêntico e próspero. Olhem para Lincoln. (OBS: Não consta o autor)

(Eu gostaria de agradecer Tanner Lockhorn de Lincoln, Nebrasca por sua ajuda e contribuição significativa para este post. Tanner é uma longa residente de Lincoln e um graduado de São Pio X para o Ensino Médio).

Fonte: https://liturgyguy.com/2016/04/30/why-arent-other-dioceses-looking-to-lincoln/

Comentando em alguns pontos! Mesmo tendo traduzido pelo google e com meu parco inglês, eu exultei de alegria na medida em que entendia este belo exemplo. Na realidade eu fui percebendo, passo a passo, que pelo exemplo desta Santa Diocese dos Estados Unidos, tudo aquilo que temos defendido nestes últimos anos está ali posto e aplicado, com os consequentes e preciosos frutos para a Igreja Católica.

Dentre estes pontos eu gostaria de destacar os seguintes sete:

1 – A sequência feliz de diversos bispos na mesma linha > Naturalmente para que os frutos de evangelização somente podem apresentar resultados satisfatórios – ou demonstrar efeitos deletérios – se houver a continuidade que ultrapasse no mínimo uma geração. Se as diferentes Dioceses mudam de tratativas, a cada Bispo que a assume, jamais se poderá observar resultados satisfatórios, porque cada um com sua cabeça, e nem todos obedientes à “cabeça”, a Pedro. E neste caso, temos aqui uma sequência de três Bispos, um a continuar na senda do outro, em quarenta anos de trabalho devotado para a Verdadeira Igreja.

2 – O abandono do modernismo do Concilio Vaticano II > Sem o abandono dos erros conciliares, pode ter certeza absoluta que nenhuma Diocese do mundo conseguirá produzir frutos perfeitos e de eternidade. Este Concílio foi convocado pela besta, exatamente para destruir a Igreja, conforme previu São João Bosco. Houve nele uma parte significativa de boas intenções, o natural, o óbvio, o que já estava definido perfeitamente, e houve a parte má, o joio nele infiltrado. O que o modernismo fez foi adubar e regar o joio, sufocando gradativamente o bom trigo. Se este joio não for arrancado, jamais a Igreja haverá de voltar a ser forte. O que se livre dele, como fez Lincoln!

3 – O respeito primordial à Tradição e à Missa em Latim > A Igreja não precisava mudar em nada daquilo que já tinha antes. Mas gradativamente o clero foi sendo engando e induzido a seguir por uma linha negativa, que aos poucos minou as bases da Igreja Tradicional. A Missa não era explicada ao povo, a catequese aos poucos ficava apenas nas mãos de leigos, e aconteceu um clero rebelde, sedento de mudanças. Não foi o povo que pediu um Concilio, foram rebeldes que o impuseram, não com a finalidade de melhorar a Vida da Igreja, mas exatamente para destruí-la, devagar e ardilosamente, sem que o povo percebesse. E o “aggiornamento” deu na “fumaça de satanás”!

4 – A presença exclusive dos padres e das freiras na catequese > Este é certamente um dos pontos mais fracos e um fator determinante do atual estado de degradação na Igreja: a presença de apenas leigos, todos eles sem exceção, atualmente mal formados, que podem até ser esforçados, mas seguindo o modernismo atual, tudo o que conseguem, com este esforço é deformar cada vez mais o povo católico. E disso surgem exatamente os jovens que abandonam a Igreja, e deles se chega aos pais mal formados que vão criar e educar filhos ainda piores. Onde é que estão os bons padres e as religiosas bem formadas? Existem ainda? Sim, em Lincoln!

6 – O ensino civil também voltado para a doutrina católica > Ou seja, a formação não apenas na catequese para os Sacramentos da Eucaristia, a Confissão, a Crisma, o Matrimônio e a Ordem, mas também nas escolas públicas, onde as crianças continuarão tendo uma formação moral exclusivamente dentro dos princípios pétreos da Sã Doutrina Católica. Não adianta ter uma escola de catequese voltada para a Eucaristia, se depois temos uma escola civil que educa para a rebeldia! Para a imoralidade, o homossexualismo e a depravação. Neste sentido é fácil perceber que os jovens tenderão para Babilônia e Sodoma, nunca para a Igreja de Cristo.

7 – A adoção exclusiva de coroinhas meninos e de acólitos > Esta aqui um ponto chave, conforme nós já colocamos em artigos anteriores: a presença de apenas homens no presbitério, conforme preconiza São Paulo, e como é o desejo de Jesus, expresso na convocação de apenas homens para seus apóstolos. Interessante que não existem lá sequer os Ministros e Ministras Extraordinários da Comunhão, mas em auxílio ao Padre alguns jovens podem distribuir a Comunhão, apenas em uma espécie, sem qualquer confusão, estrelismo ou intrigas. E sem os pecados e sacrilégios da escola modernista. Tudo segue em harmonia, não somente entre os leigos, como também nas diferentes ordens do Clero, e das religiosas. Acaso tem lá feministas revoltadas?

8 – A insidiosa perseguição e o escárnio dos modernistas > Como se viu, muitos bispos criticaram este modo de ser Igreja na diocese de Lincoln. Criticaram, mas talvez por ódio e inveja, uma vez que comparadas as estatísticas entre ambos, fica evidente o descalabro das dioceses modernistas e pós-conciliares. Chegam ao ponto de considerar perdida esta Diocese, quando ela é a ÚNICA, salva, naquele imenso país. E que ela continue a ser “perdida” ante a falsa igreja que brotou do Vaticano II, porque assim teremos a certeza de que se cumprirá a Palavra de Jesus, que nos afirmou: as portas do inferno não vencerão a Sua Única e Verdadeira Igreja. A da Tradição, a de sempre! Pois enquanto tivermos bispos como Dom James Conley e seus dois antecessores, a Verdadeira Igreja continuará de pé.

Fonte: www.recadosdoaarao.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *