Enigmas de Daniel – Parte 3

Continuo com as explicações sobre os textos de Daniel, conforme já está em nossos livros, e então como matérias já aprovadas pelo Céu. Não por discernimento nosso particular somente, mas pelo estudo dos santos e doutores da Igreja, até pelos estudos dos protestantes, já se havia conseguido entender parte do mistério destas profecias. Há padres que entendem isso, outros não, porque não aprendem o discernimento das profecias porque a escola dos mestres teológicos de hoje, em sua maioria já não mais se liga em Deus e sim neles mesmos. É preciso oração, oração, oração, para entender os mistérios de Deus. Como fez Daniel e veremos a seguir!

Então tentando obter discernimento sobre uma profecia que constava do livro de Jeremias, no capítulo 29, Daniel estava preocupado com isso, mas não conseguia entender o mistério que constava daquela passagem. Eis como está em …

Esta figura de setenta anos, na realidade obedece a um tipo de contagem utilizada pelos judeus, para designar semanas de anos, ou seja, ciclos de sete anos, o que nesta contagem forma um ciclo histórico de 490 anos. Como discernir isso? Daniel foi rezar, implorar a Deus entendimento da profecia, não apenas fazer uma explicação da própria cabeça.

Segue aqui uma longa oração feita pelo profeta, que não comporta colocar aqui porque ela fala por si só e não carece de explicação. Esta oração consta do versículo 5 ao 19. A seguir está a explicação, muito sintética, dos acontecimentos futuros. Interessante notar que ao Profeta Daniel são citados muitos ciclos de tempos e contagens de dias, sinal de que no futuro Deus daria a conhecer aos homens o sentido pleno do ciclo da história. Mais que isso, contando os tempos a partir de uma data inicial, conforme está no versículo 25 abaixo. E se citou aquela data, por qual motivo não poderá citar outras datas para entendimento pleno?

Percebe-se que se trata do Arcanjo Gabriel, o mesmo da anunciação, sinal da importância desta explicação, eis que a questão das datas é um dos mais profundos mistérios de Deus. Muitas delas estão blindadas através de enigmas, que somente a explicação celeste pode fazer entender.

24 Setenta semanas foram fixadas > são 490 anos de ciclo histórico

a teu povo e à tua cidade santa > Trata-se do povo judeu, e da cidade de Jerusalém.

para dar fim à prevaricação, > Acabar com este mundo de confusões,

selar os pecados e > exterminar da terra os pecadores

expiar a iniquidade, > fazer cumprir plenamente todas as exigências da justiça de Deus

para instaurar uma justiça eterna, > Dar paz definitiva ao mundo e aos homens de boa vontade

encerrar a visão e a profecia e > Então os homens entenderão os mistérios de Deus.

ungir o Santo do Santos > Dar domínio completo a Jesus sobre todos os povos e nações.

Assim, são muitas coisas encerradas em um único versículo, que sintetiza toda a batalha final, para a expulsão do demônio daqui da terra, e exterminar com o reino dos pecadores, daqueles que não querem a conversão nem saber de Deus.

O decreto do Rei Dario, foi assinado no dia 03.03.444 AC – antes de Cristo, e é a partir dali que começa a contagem dos 490 anos. Primeiro um ciclo de 49 anos, (7 x 7) tempo em que foi reconstruído o templo de Jerusalém, em época de grande carestia e aflição, porque faltava tudo. O sacerdote Esdras – ler livro de Esdras – foi encarregado desta reconstrução.

São assim mais 434 anos (62 x 2) que decorrem e isso leva-nos ao UNGIDO que foi suprimido, ou seja, o próprio Jesus, isso por volta do ano 34 da nossa erra, e se encerra a segundo ciclo, com a ruina e a queda de Jerusalém, que foi destruída pelos romanos, sob o comando do General Tito. Isso se deu entre os anos 67 e 70 da nossa era. Os números batem certinho. E versículo se completa com esta passagem importante, porque vai descrever agora um logo ciclo de intervalo da profecia, porque ela foi destinada ao povo judeu e a cidade de Jerusalém. Como eles foram dispersos pelo mundo e Jerusalém foi destruída, não havia mais os destinatários da promessa, e portanto cessou a contagem, faltando apenas uma semana de anos, ou sete anos.

….e até o fim haverá guerra e devastação decretada.

Ou seja, o povo judeu passou a vagar pelo mundo sofrendo toda sorte de perseguições, entretanto mesmo assim permaneceu como povo, casando-se entre si na mesma linha de sangue que vem desde Abraão Isaac e Jacó, milagrosamente permanecendo unido mesmo sem ter uma pátria definitiva. Isso somente acontecerá a partir do momento em que, depois de 1945, foram compradas as terras e constituído o novo estado de Israel. Eles nunca tiveram paz, e sempre até o fim estarão no meio das guerras. Tudo bate então. Falta a última semana de anos!

Aqui já explicamos em muitos livros e textos, trata-se da semana de anos que teve início com a queda das torres do WTC, em 11/09/2001 e se encerrou em 10/09/2008. Aqui veremos agindo a figura do anticristo, cujo domínio sobre os governos da terra já é evidente. Esta aliança da fera se dá na constituição dos governos e na eleição de governantes fiéis ao filho das trevas, e estes, aliados a aquela fera que se encastelou dentro da Igreja, tramaram e decidiram pela extinção da Santa Missa, que será substituída por uma simples ceia comemorativa. Nisso se constitui o cerne da abominação que Jesus irá citar em Mateus 24, 15. Ela é um sinal de que a Grande Tribulação final estaria muito próxima.

O devastador é sem dúvida o anticristo, que já hoje obriga os governos a promover todo tipo de abominação em suas leis, tratando do aborto, das uniões civis entre pessoas do mesmo sexo, da eutanásia, e da eliminação da imensa maioria das populações do planeta, por meio de doenças fabricadas, de vacinas contendo vírus mortais, de venenos nos alimentos e nas caixas de água das cidades, de todo tipo de forma imaginável capaz de dizimar a vida humana.

Óbvio que, em seu infinito poder sobre todas as coisas e sobre tudo, Deus conduzirá as coisas de tal modo que as próprias pessoas que tramam o governo mundial, a escravização das pessoas através do chip de controle, a marca da besta, sejam elas mesmas a se destruírem, sem esforço de mão humana, ou ação divina direta. Tudo o que está aqui decretado, será executado, e irá acontecer, exatamente como temos divulgado. Tudo tem respaldo bíblico e se cumprirá.

Lembro que, nos próximos dias, deve sair uma reportagem no site da TV Globo – G1 – pois vieram nos entrevistar e passamos os mesmos dados. Também deve sair uma reportagem na Revista Isto É, que também pediu os dados através de entrevista. Todos os que conhecem nossos livros já sabem o que temos escrito e podem conferir se eles falam a verdade ou não. Como falei a ambos os jornalistas, não adianta eles tentarem nos desacreditar ou ridicularizar, porque nosso trabalho é seríssimo, tem base na Bíblia, constam dos livros e eles passarão por ridículo adiante se tentarem escarnecer. Mas ambos prometeram não ser tendenciosos, e manterem a fidelidade, porque não podem fazer diferente dos livros. Afinal, se dizem católicos.

Que Deus vos abençoe a todos
Aarão!

PS> O capítulo 10 penso que não comporta explicar porque é uma alegoria aos milênios de confusões e de difícil enquadramento na história.

Fonte: www.recadosaarao.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *