DE QUE LADO ESTÁ DEUS?

  • DE QUE LADO ESTÁ DEUS? Data da Postagem: 11 abr 2014 | Autor: Mateus | Comentários: 1 comentário
  • Wayback Machine

    Previous capturePat Buchanan: colunista do WND e ex-assessor do presidente Ronald Reagan

    Patrick J. Buchanan

    Ao defender a atitude da Rússia de anexar a Crimeia, Vladimir Putin, mesmo antes de começar a mostrar a lista das batalhas em que sangue russo havia sido derramado em solo crimeio, falou de uma ligação mais antiga e profunda.

    A Crimeia, disse Putin, “é o lugar dos antigos quersonesos, onde o príncipe Vladimir foi batizado. O corajoso ato dele adotar o Cristianismo ortodoxo predeterminou a base geral da cultura, civilização e valores humanos que unem os povos da Rússia, Ucrânia e Bielorrússia.”

    A Rússia é um país cristão, Putin estava dizendo.

    Esse discurso nos faz lembrar o discurso de dezembro passado em que o ex-diretor da KGB falou de uma Rússia assumindo uma posição contra um Ocidente decadente:

    “Muitos países euro-atlânticos se afastaram de suas raízes, inclusive valores cristãos. Querem políticas que colocam no mesmo nível uma família de vários filhos e uma parceria homossexual, uma fé em Deus e uma crença em Satanás. Essa é a rota para a decadência.”

    Você ouviu algum líder ocidental (por exemplo, Barack Obama) falar desse jeito recentemente?

    Culpando os “bolcheviques” que entregaram a Crimeia à Ucrânia, Putin declarou: “Que Deus os julgue.”

    O que está acontecendo aqui?

    Com o marxismo-leninismo uma fé morta, Putin está dizendo que a nova luta ideológica é entre um Ocidente depravado liderado pelos Estados Unidos e um mundo tradicionalista que a Rússia teria orgulho de liderar.

    Na nova guerra de convicções, Putin está dizendo, é a Rússia que está do lado de Deus. O Ocidente é Gomorra.

    Os líderes ocidentais que comparam a anexação de Putin da Crimeia ao Anschluss de Hitler com a Áustria, que o desprezam como um “criminoso da KGB,” que o chamam de “alegado ladrão, mentiroso e assassino que governa a Rússia,” como fez Holman Jenkins do Wall Street Journal, creem que a afirmação de Putin de que a Rússia tem fundamento moral mais elevado é para lá de blasfêmia.

    Mas Vladimir Putin sabe exatamente o que está fazendo, e sua nova afirmação tem uma linhagem respeitável. Whittaker Chambers, americano ex-comunista que desmascarou Alger Hiss como um espião soviético, estava, na época de sua morte em 1964, escrevendo um livro sobre a “Terceira Roma.”

    A primeira Roma foi a Cidade Santa e a sede do Cristianismo que caiu nas mãos de Odoacro e seus bárbaros em 476 A.D. A segunda Roma foi Constantinopla, Bizâncio (a Istambul de hoje), que caiu nas mãos dos turcos em 1453. A cidade sucessora de Bizâncio, a Terceira Roma, a última Roma dos velhos crentes, era — Moscou.

    Putin está vindo com uma afirmação de que Moscou é a Cidade Santa de hoje e posto de comando da contrarreforma contra o novo paganismo.

    Putin está ganhando acesso a algumas das correntes mais poderosas do mundo moderno. Não só em sua resistência ao que boa parte do mundo vê como o empenho arrogante dos Estados Unidos de obter a hegemonia mundial. Não só em sua defesa tribal dos russos perdidos deixados para trás quando a URSS se desintegrou.

    Ele está também tirando vantagem da repulsa e resistência mundial ao esgoto da revolução social e secular hedonista que está vindo do Ocidente.

    Na guerra cultural pelo futuro da humanidade, Putin está plantando a bandeira da Rússia firmemente do lado do Cristianismo tradicional. Seus recentes discursos carregam ecos de João Paulo II cuja encíclica Evangelho da Vida em 1995 condenou o Ocidente por adotar uma “cultura da morte.”

    O que o Papa João Paulo queria dizer com crimes morais?

    A capitulação do Ocidente diante de uma revolução sexual de divórcio fácil, promiscuidade sexual desenfreada, pornografia, homossexualidade, feminismo, aborto, “casamento” homossexual, eutanásia, suicídio assistido — a destituição dos valores cristãos pelos valores de Hollywood.

    Anne Applebaum, colunista do Washington Post, escreve que ficou impressionada quando na cidade de Tbilisi [capital da Geórgia] ouviu um advogado georgiano declarar acerca do governo anterior pró-Ocidente de Mikhail Saakashvili, “Eles eram LGBT.”

    “Foi um momento de revelação,” escreveu Applebaum. Medo e nojo da epidemia de “casamento” homossexual estão agora presentes no mundo inteiro. Em Paris, um milhão de pessoas marcharam em protestos de revolta em favor da moralidade.

    A escritora Masha Gessen, que escreveu um livro sobre Putin, diz de seus dois últimos anos: “A Rússia está se refazendo como líder do mundo anti-Ocidente.”

    Mas a guerra a ser travada com o Ocidente não será com mísseis. É uma guerra cultural, social e moral em que o papel da Rússia, nas palavras de Putin, deverá “impedir um movimento de atraso e decadência que está levando à escuridão e à volta a um estado primitivo.”

    Seria essa a “escuridão caótica” e “estado primitivo” da humanidade, antes que a Luz viesse ao mundo?

    Fiquei espantado ao ler no boletim de janeiro-fevereiro da entidade conservadora social Congresso Mundial de Famílias em Rockford, Ill., que, das “10 melhores tendências” no mundo em 2013, a número 1 era que a “Rússia Está Emergindo como Líder Pró-Família.”

    Em 2013, o Kremlin impôs uma proibição na propaganda homossexual, uma proibição na propaganda de aborto, uma proibição em abortos depois da 12ª semana e uma proibição em insultos sacrílegos a crentes religiosos.

    “Enquanto as outras superpotências estão marchando em direção a uma cosmovisão pagã,” escreve Allan Carlson, do CMF, “a Rússia está defendendo os valores judaico-cristãos. Durante a era soviética, os comunistas ocidentais iam em bandos para Moscou. Neste ano, o Congresso Mundial de Famílias VII será realizado em Moscou de 10 a 12 de setembro.”

    Será que Vladimir Putin dará o discurso principal?

    Na nova Guerra Fria ideológica, de que lado Deus está agora?

    Pat Buchanané colunista do WND e foi assessor do presidente Ronald Reagan.

    Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: Is God now on Russia’s side?

    Fonte: www.juliosevero.com

    COMENTÁRIO ARNALDO HAAS –www.recadosaarao.com.br

    Agora mesmo uma pessoa me telefonou pedindo novidades e eu lhe falei a respeito deste assunto. Já coloquei, meses atrás, um artigo onde mostrava esta tendência da Rússia, em assumir uma espécie de liderança moral, diante de um mundo Ocidental que desaba. Que afunda na mais degradante perversão!

    De fato quando a poluída ONU chega ao desplante de reivindicar da Igreja Católica o cetro da moral, isso se dá não porque ela se sinta moralmente impoluta, mas porque a falsa igreja deixou de combater a imoralidade, e tantas vezes tem dado até sinais de que a aprova. E isso é um absurdo! E as mensagens atuais afirmam que realmente, de Roma virá a aprovação do pecado.

    Veja que, de um lado temos a mídia calhorda do Ocidente, que despeja mil enxurradas sobre Putim, alertando inclusive para o fato de que ele pretende voltar a formar a União Soviética, anexando novamente as nações que uma vez já estiveram sob a foice e o martelo do comunismo. De outro, temos as ações da Rússia, em defesa dos princípios cristãos, e da moral que vem de Deus.

    Em quem acreditar? No grande urso, que parecia morto mas revive, ou na conversão da Rússia predita em Fátima? Só o tempo o dirá, entretanto conforme bem deixa transparecer o artigo acima, tudo indica que o confronto mundial pode ser dar neste campo, o da moral, do espiritual, onde a Rússia é suscitada por Deus para castigar o Ocidente imoral. E eles parecem dispostos a isso!

    O que ninguém pode ignorar é a tremenda pressão em todo mundo Ocidental, a obsessão, a fúria demoníaca com que avançam as hostes gays contra tudo aquilo que vem de Deus, como o pecado se difunde, como a pressão por leis que aprovem a depravação das crianças inocentes e a destruição da juventude tem adentrado os parlamentos. Isso tudo no aponta para a pressão do anticristo e sua ação destruidora.

    Por outro lado, vemos também, em todo mundo, se levantando forças contrárias, em defesa da vida e da família cristã, o que nos aponta um confronto de titãs. Mais do que isso, aponta uma necessidade de urgência da ação dos inimigos de Deus, porque seria impensável para eles perderem parte do terreno já conquistado. Então não esperem para uma explosão para daqui a muitos anos, mas por algo muito próximo.

    Enfim, Deus tem poder de converter até os maiores celerados. E se Putim realmente não está blefando, acreditem, da Rússia virá o novo flagelo de Deus, como um dia o foi o Átila o Rei dos hunos. Naquela vez o Papa Leão I conseguiu refrear o grande guerreiro que poupou Roma da invasão, desta vez, porém, acho que Roma nem será poupada, porque ali se instalou a sede do império do mal.

    E se Putim estiver blefando que lhe aconteça o mesmo que se deu com Átila! De qualquer forma, disso podemos ter certeza, a Rússia terá papel preponderante nos confrontos bélicos que virão, e junto com a China haverão de esmagar o Ocidente pecaminoso. De fato, embora estes dois países sejam protagonistas dos maiores crimes de sangue da história, não resta dúvida de que diante de Deus são mais horrendos os crimes morais do Ocidente atual.

    No campo de batalha, o bem contra o mal… Na batalha final!

    Leia também…

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *