Cardeal denuncia “um desejo perverso de autodestruição” na Igreja

cardeal Brandmuller

Publicado 01 de julho no jornal regional alemão Rheinische Post.

O Cardeal aposentado e historiador da Igreja, Walter Brandmüller, deu uma entrevista na Alemanha em que repreende a agenda liberal dos bispos alemães. A entrevista, intitulada “El Buen Pastor no debe temer a los lobos” “O bom pastor não deve temer os lobos”

O Cardeal vê em certos círculos da Igreja um “desejo perverso para a auto-destruição”, por exemplo, “minando a procriação da vida de maneiras diferentes e colocando em questão a identidade sexual natural do homem e mulher.

Cardeal Brandmüller descreve o perigo de se adaptar ao “politicamente correto”, admitindo que violá-lo implica “o risco de uma execução pela mídia”.

Ele descreve a “dinâmica de silêncio em que a maioria dos bispos caiu” e, portanto, vem assim, em silêncio, a execução. Ninguém pode dizer que “tal conduta é digno de um cristão”, acrescenta ele, especialmente quando se trata de questões fundamentais relativas ao ensino da fé e da moral do Evangelho de Cristo.

Com que propósito nós recebemos o Sacramento da Confirmação? Ele pergunta:

“E os bispos não prometeram em sua consagração religiosa, que iriam anunciar o Evangelho de Cristo e fielmente preservar, pura e integrais, o Depósito da Fé, segundo a tradição como a Igreja mantém, sempre e em toda parte?”

O Cardeal pede a dessecularização da Igreja, isto é, uma maneira de pensar que não segue os princípios mundanos, mas seguir a verdade da fé. Em vez de pregar o cristianismo ‘light’, disse ele, temos de ter a coragem de exigir um programa que se opõe firmemente ao mainstream da sociedade de hoje e viver totalmente os mandamentos.

“A Igreja pode e deve proclamar a lei moral natural que tem sido aperfeiçoada pelos Evangelhos e que é compreensível para o homem de boa vontade”, disse ele. “Assim, a Igreja não deve permitir-se ser desviada por resistência [crescente] à sua mensagem.”

Fonte:romadesempre.blogspot.com.br | sinaisdoreino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *