Calendário espanhol retrata santos como transexuais. Absurdo!

Amor Mariano: Que o Senhor me inspire e me ilumine pois até eu tenho medo do que vou escrever aqui, mais não me calo diante dessa situação!

A primeira coisa a se deixar bem claro aqui é que o que escrevo não é generalizado para os homossexuais, a quem eu já disse e reafirmo que os amo, e também reafirmo que ODEIO a homossexualidade (o ato). Me dirijo aqui a pequena parcela de homossexuais que se acham os perseguidos pela Igreja, que acham que fazendo esse tipo de provocação vão de alguma maneira atingir a única e verdadeira Igreja de Cristo, Católica Apostólica e Romana! Porque não atacam as Evangélicas???? Porque não atacam as Espiritas?? Exatamente porque o demônio têm ódio da Verdadeira Igreja, aquela que todos os dias saqueia o Inferno!!!

Impossível ler a notícia abaixo e ver uma das várias imagens (aqui no site publiquei apenas uma, mais podem conferir mais no site fonte da noticia), sem ter nojo, repulsa de um ato tão pequeno e mesquinho, prestem atenção no que escrevo, nojo do ATO não das pessoas, que são pobres coitados iludidos e marionetes do demônio!

A noticia é da Espanha, mais sabemos que aqui no Brasil acontece o mesmo! Entendam que a Igreja Católica não mudará a sua posição quanto ao homossexualismo pois isso é Bíblico! Uma vergonha que não merecia nem ser relatada, mais que aqui fazemos para alertar aqueles que ainda dormem, achando “bonitinho” o casal gay da novela, o comercial que mostra homossexuais, enfim todas as artimanhas do inimigo! O que nos resta é apenas rezar por esses e que um dia possamos estar TODOS juntos ao lado de Jesus e da Virgem Maria!!!!

Associações espanholas de defesa dos direitos dos homossexuais lançaram um calendário com imagens baseadas em conhecidas obras de arte sacra, especialmente aparições da Virgem Maria, mas interpretadas por transexuais.

No chamado Calendário Laico, cada mês está representado por uma livre interpretação de cenas famosas do imaginário católico, como a de Nossa Senhora de Fátima diante dos três pastores. Mas redecorada com a estética gay.

As imagens mostram santas em versões drag queen, usando mantos, coroas, colares, braceletes, tendo preservativos coloridos como aplique e até vibradores no alto das coroas.

Depois do sucesso de uma experiência-piloto – com 500 cópias esgotadas na parada do orgulho gay, em junho -, o calendário laico começa a circular em Madri nesta semana com tiragem de 10 mil exemplares.

Para o Coletivo de Gays, Lésbicas, Transexuais e Bissexuais de Madri (Cogam), autores do polêmico calendário, a publicação tem como objetivo reivindicar que, em um país laico, os feriados santos sejam substituídos por eventos sociais.

O grupo sugere, por exemplo, que 25 de dezembro seja declarado oficialmente o dia da democracia em lugar do Natal.

“E porque não?”, questionou o presidente do Cogam, Miguel Ángel González, em entrevista à BBC Brasil. “Talvez muita gente prefira comemorar coisas com as que se sente mais identificada, como o dia do meio ambiente ou dia da diversidade.”

‘Provocação’
O calendário deve ser interpretado como provocação ao clero, em um país onde a Igreja, influente, difunde doutrinas contrárias ao homossexualismo e ao uso de preservativos.

“Pode ser que alguém se chateie. Esperamos que nenhum fiel se sinta ofendido, porque não era a intenção, nem vemos nada de vulgar nas fotos”, afirma o ativista.

“Mas também não é uma provocação a onipresença da igreja e a negação da homossexualidade por parte do clero, fazendo uso dos seus ícones? A arte está para isso: para romper os esquemas.”

Alguns fiéis já se sentem ofendidos. O grupo católico Religião e Liberdade, fervente, disse à BBC Brasil que o calendário é uma “ofensa clara e inconstitucional”.

Citando o Código Penal, o vice-presidente da associação, Raúl Mayoral, alega que a publicação vulnera o artigo que prevê penas de oito a doze meses de prisão para quem ofenda os sentimentos dos membros de uma confissão religiosa.

Para os representantes da Plataforma Hazte oír (Faz-te ouvir), uma das organizadoras dos protestos nas ruas de Madri contra o aborto e contra o casamento entre gays, o calendário laico ataca os ícones e valores católicos, mas não surpreende.

“Estamos fartos de ver estes tipos de agressões. Essa inquisição rosa é constante porque os homossexuais espanhóis aproveitam qualquer oportunidade para soltar qualquer barbaridade em nome da liberdade de expressão”, disse à BBC Brasil Nicolás Susena, coordenador da plataforma.

“Depois de ver cartazes na parada do orgulho gay com fotos do Papa Bento 16 e a frase ‘cuidado com o pastor alemão’ o que vamos esperar desta gente? É revoltante e me dá vergonha de ser espanhol numa sociedade deste nível.”
Fonte:reporterdecristo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *