Bruxo que Matava Crianças para GLOBO se converte e denuncia

A Paz de Jesus e o Amor de Maria Santíssima esteja com você Verônica!

Respeito o seu comentário, mais não aceito tremenda teoria satânica! Se servir a Deus somente será perfeito e completo se for na ÚNICA IGREJA FUNDADA POR CRISTO, A Igreja Católica Apostólica Romana (Mt 16,18-19)! Portanto somente atribuímos o I maiúsculo a Santa Igreja Católica, e i minusculo as outras que revoltadas se separaram da ÚNICA!

Quanto a Adoração de Imagens peço que prove onde católicos adoram imagens, mostre-nos amada irmã, escritos católicos (Nesses mais de 2MIL anos de tradição (quanto tempo tem a sua)) onde algum Santo ou o Papa mandou que adorássemos imagens? Mostre-nos a fonte.. Caso não consiga mostrar, só prova sua completa ignorância no assunto, ou que está sendo usada pelo pai da mentira…

Abaixo uma resposta a TODOS os que nos acusam de adorar imagens:
Os católicos não adoram imagens. Elas são apenas representações de Nosso Senhor, de Nossa Senhora, dos Anjos ou dos Santos que nos ajudam a lembrar deles, a amá-los e invocá-los. É o mesmo que acontece com as fotografias das pessoas que nos são caras: quando nós gostamos de olhar para tais fotografias, é nas pessoas que elas representam que estamos pensando, e não nas fotografias enquanto um pedaço de papel.

Ademais, é preciso ler em seu contexto, e não fora dele, os textos da Bíblia, citados pelos protestantes. Assim, o texto por eles citado vem precedido por uma frase que explica bem o sentido em que a proibição de fazer estátuas deve ser compreendido:

“Não terás outros deuses diante de minha face”. Quer dizer, trata-se da proibição de fazer ídolos, pois os hebreus eram muito inclinados, pelo exemplo dos povos pagãos vizinhos, à idolatria. Tendo alertado de que se trata de “outros deuses” – portanto, ídolos – continua Deus Nosso Senhor: “Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra”. Isso queria dizer que não se deviam fazer estátuas simbolizando “deuses” de madeira ou de pedra, sob a forma de um astro, de um pássaro, de um homem, de um animal, de uma planta ou de um animal aquático como objetos de adoração.

Isso é fora de dúvida, pois Deus não pode contradizer-Se a Si próprio. No mesmo livro do Êxodo, cinco capítulos adiante, ordena a Moisés que faça dois querubins de ouro, com as asas estendidas, para cobrir o propiciatório da Arca da Aliança (Ex 25, 18). Adiante, no livro dos Números, quando, para punir o povo hebreu que murmurava contra Deus e Moisés, “o Senhor enviou contra o povo serpentes ardentes, que morderam e mataram muitos”, como Moisés intercedesse pelo povo, ordenou-lhe que fizesse uma serpente de bronze e a colocasse num lugar visível e público para que todo aquele que olhasse para ela, não morresse. Pelo que se tornou o símbolo da Cruz (Num 21, 5 a 9).

Mais uma vez – durante quase mil e quinhentos anos, a não ser alguns heresiarcas precursores de Lutero, os iconoclastas – houve a veneração das imagens sem problemas. Pois já nas catacumbas, os primeiros cristãos, perseguidos, para auxiliar sua fé tão posta à prova, pintavam e esculpiam naqueles subterrâneos figuras representando Cristo e Sua Mãe santíssima. O que mostra de passagem que o culto também à Mãe de Deus é tão antigo quanto o próprio Cristianismo.

Pax

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *