Beijar com ternura as chagas de Jesus em nossos irmãos, alenta o Papa em homilia

Na homilia da Missa que presidiu nesta manhã na Casa Santa Marta na festa de São Tomé Apóstolo, o Papa Francisco assinalou que para encontrar o Deus vivo “é necessário beijar, com ternura, as chagas de Jesus em nossos irmãos famintos, pobres, doentes e prisioneiros”.

Depois da ressurreição, disse o Papa Francisco, Jesus apareceu aos apóstolos, mas Tomé não estava presente: “queria que esperasse uma semana. O Senhor sabe por que faz as coisas. Ele dá a cada um de nós o tempo necessário para acreditar. Tomé recebeu uma semana. Jesus se apresentou com suas chagas: todo seu corpo estava limpo, belo, cheio de luz, mas as chagas estavam e estão ainda, e quando o Senhor virá, ao final do mundo, nos mostrará as suas chagas”.

“Tomé, para acreditar, quis colocar seus dedos nas chagas: era um cabeça dura. Mas o Senhor escolheu precisamente um cabeça dura para nos fazer entender um coisa tão nobre. Tomé viu o Senhor e foi convidado a colocar o dedo em suas chagas e não disse: é verdade: o Senhor ressuscitou. Mas, foi mais além e disse: ‘meu Senhor e meu Deus’. Assim, ele foi o primeiro dos discípulos a confessar a divindade de Cristo, depois da ressurreição. E o adorou”.

Francisco explicou que “assim se entende qual foi a intenção do Senhor ao fazê-lo esperar: tomar sua incredulidade para leva-la não à afirmação da Ressurreição, mas à afirmação de sua divindade. O caminho para o encontro com Jesus-Deus são suas chagas. Não há outro. Na história da Igreja houve alguns erros no caminho para chegar até Deus”.

Na história da Igreja, afirmou o Pontífice, houve erros no nosso caminho rumo a Deus. Quantos se perderam no caminho e não chegaram à meta, que é Deus! Outros pensaram que, para chegar a Deus, seria preciso a mortificação, a austeridade e escolheram o caminho da penitência e do Jejum. Mas, nem mesmo esses conseguiram chegar ao Deus vivo. Pensavam de chegar à meta somente através do esforço pessoal.

O Santo Padre precisou que “Jesus nos diz que a maneira de encontra-lo é encontrando suas chagas, e as chagas de Jesus as encontramos com as obras de misericórdia, dando ao corpo e à alma, sobretudo ao corpo de seu irmão chagado, porque tem fome, porque tem sede, porque está nu, porque está humilhado, porque é um escravo, porque está preso, porque está no hospital. Essas são as chagas de Jesus hoje”.

E Jesus, continuou o Pontífice, “convida-nos a dar um ato de fé, nele, mas através destas chagas… Façamos uma fundação para ajudar a todo mundo e fazer tantas coisas boas! Isso é importante, mas se ficamos neste nível seremos somente filantrópicos”.

“Temos que tocar as chagas de Jesus, devemos acariciar as chagas de Jesus, temos que curar as chagas de Jesus com ternura, temos que beijar as chagas de Jesus, e isto literalmente. Pensemos, o que aconteceu com São Francisco quando abraçou o leproso? A mesma coisa que aconteceu com Tomé, sua vida mudou”.

O Papa disse para concluir que “para tocar ao Deus vivo não há necessidade de fazer um curso de atualização, mas entrar nas chagas de Jesus, e para isso basta sair à rua. Peçamos a São Tomé a graça de ter a coragem para entrar nas chagas de Jesus com nossa ternura e certamente teremos a graça de adorar ao Deus vivo”.

Fonte: www.acidigital.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *