“Ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos”.

Igreja•Papa4 anos atráspor MateusComentarEscrito por Mateus

Praça de São Pedro, 7 de setembro de 2013 – Adoração Eucarística na Vigília de Oração e Penitência pela paz na Síria

Quando o homem pensa só em si mesmo, em seus próprios interesses e se põe no centro, quando se deixa fascinar pelos ídolos do domínio e do poder, quando se põe no lugar de Deus, então muda todas as relações, arruína tudo; e abre a porta à violência, à indiferência, ao enfrentamento. Isso é exatamente o que nos quer fazer compreender a passagem de Gênesis na qual se narra o pecado do ser humano: o homem entra em conflito consigo mesmo, se dá conta de que está nú e se esconde porque tem medo (Gn 3, 10), tem medo do olhar de Deus; acusa a mulher, que é carne de sua carne (v. 12); rompe a harmonia com a criação, chega inclusive a levantar a mão contra o irmão para matá-lo. Podemos dizer que a “harmonia” se passa para a “desarmonia”? Podemos dizer isso, que da “harmonia” se passa à “desarmonia”? Não, não existe a “desarmonia”: ou há harmonia, ou se cai no caos, onde há violência, rivalidade, enfrentamento, medo…

[…] Nestas circunstâncias, me pergunto: É possível seguir outro caminho? Podemos sair deste espiral de dor e morte? Podemos aprender de novo a caminhar pelas sendas da paz? Invocando a ajuda de Deus, sob o olhar materno da Salus populi romani, Rainha da Paz, quero responder: Sim, é possível para todos. Esta noite gostaria que de todas as partes da terra gritássemos: Sim, é possível para todos. Mais ainda, gostaria que cada um de nós, do menor ao maior, inclusive aqueles chamados a governar as nações, disséssemos: Sim, queremos. Minha fé cristã me leva a olhar a Cruz. Como gostaria que por um momento todos os homens e mulheres de boa vontade olhassem para a Cruz!

Fonte: Fratresinunum

Papa Franciscovigília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *